Em Belém, 34ºC

julho 8, 2011 § 4 Comentários

“Tripulação, pouso autorizado, temperatura local 34o C.”

O choque de realidade não poderia ter sido mais intenso. Como se não bastasse ter saído da minha zona de conforto para mergulhar em um universo desconhecido, também estava em jogo o fator climático: em São Paulo, o inverno tinha acabado de começar; em Belém, o verão já estava com tudo.

Desembarcamos às 15:30 do dia 29 de julho, quarta-feira.

“Um táxi para Terra Firme, por favor.”

“Não sei se vão querer levar vocês não…é um bairro meio perigoso.”

O André olhou para mim rindo. Eu também ri, mas não porque achei engraçado.

Encontramos um taxista “corajoso” e partimos para a periferia da cidade. Chegando lá, gritamos pelo nome da Socorro – a casa não tem campainha! –, mas ninguém respondeu.

Sorte que a padaria é da família. Os funcionários nos receberam numa boa e ficamos esperando próximo aos fornos. Os 34o C subiram para 40o C em questão de poucos passos, mas nada que um pão doce e um suco gelado não pudessem amenizar.

A Socorro logo apareceu e nos acolheu como filhos: mostrou nosso quarto e serviu um belo de um almoço. Totalmente acabados, aproveitamos o restante do dia para descansar.

Acordamos às sete da manhã ao som das músicas eletrônicas que saíam da academia e entravam diretamente pela nossa janela. Pegamos um ônibus rumo ao centro para acompanhar a manifestação contra a construção da hidrelétrica.

Sheyla Juruna, uma das lideranças indígenas na luta contra Belo Monte, seria homenageada na Assembleia Legislativa do Estado do Pará e os militantes aproveitaram a data para protestar. Observamos a movimentação e depois partimos para o Ver-o-Peso, um dos mercados mais antigos do país.

Construído em 1625, hoje em dia é a maior feira aberta da América Latina. Tem de tudo; tudo que você já conhece e muito para se conhecer. Foi a primeira vez que provei açaí moído na hora, sem açúcar e quente. Muito diferente, mas fica delicioso com filé de dourado frito e farinha de mandioca.

Agora a ordem é se preparar para a balsa que tem como destino a região do Baixo Xingu.

02/07 – 16:22

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com Sheyla Juruna em Xingu Adentro.

%d blogueiros gostam disto: